Missa das Crianças – 22º Semana do Tempo Comum – 2018

Domingo, 2 de Setembro – Mês da Bíblia.

Os fariseus e os mestres da Lei perguntaram a Jesus: “Por que os teus discípulos comem o pão sem lavar as mãos?” Jesus respondeu: “como está escrito: ‘Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim.'”

É muito importante lavar as mãos, mas de nada adianta estarmos limpos por fora se estivermos impuros por dentro. Se acreditamos em Deus, não ficamos com mágoas de nossos irmãos; por isso devemos perdoá-los e  buscar o Reino de Deus sendo justos e agindo com amor.

A sete anos, Renatinho, com 21 anos comemorou sua Páscoa ao lado de Deus. Renato Czinczel Mancini, viveu intensamente sua fé no meio de nós com muito amor, nos mostrando que a Fé Cristã se resume à alegria.

No final da Missa, Pe. Manoel abençoou os 40 anos de casamento de Tereza e Clóvis.

Antes da Missa houve formação, com os pais sobre a bíblia, dada por Isabel, Marina e Bruno.

Dia 9/09: Missa às 10h30 no Salão Nobre, entrada pelo portão 17. Não haverá catequese para as crianças neste dia.

Rally Bíblico:

Evento dia 30/09 às 14h, com perguntas a respeito do Evangelho de São Marcos preparado por Pe. José Bortolini. Grupo 3 e no máximo 5 pessoas.

Inscrições: https://docs.google.com/forms/

Contato c/ Bia: 11-99970-7110.

Solenidade de Santa Suzana

Domingo, 26 de Agosto.

“Quanto a mim e minha Família, nós serviremos ao Senhor!”

Na primeira leitura: Josué convoca os anciãos do povo, sacerdotes e magistrados, para lhes apresentar duas opções: Seguir aos deuses pagãos ou ao Deus Verdadeiro. Escolheis hoje a quem ireis servir? pois qualquer escolha que fizermos, algo terá de ser renunciado.

“Nós somos aquilo que nós escolhemos”, e Santo Agostinho reforçou: “Nós somos aquilo que amamos!”

Santa Suzana renunciou ao deus Júpiter – o deus pagão, para servir somente ao Deus verdadeiro, e esta escolha lhe custou a vida ao negar-se casa com Maxêncio Galério por ordem do Imperador Romano Diocleciano, uma vez que este casamento a tornaria futura imperatriz. Com isso Santa Suzana se tornou Mártir e Santa por realizar diversos milagres após sua morte.

Fotos da procissão partindo da Capela Imaculada Conceição ao Salão do Complexo Paroquial de Santa Suzana:

Fotos da Missa Solene:

Após a Missa houve a comemoração do aniversário natalício de Padre Antonio César:

Fotos da quermesse realizada um dia antes da Festa de Santa Suzana, na quadra esportiva do Complexo Paroquial de Santa Suzana:

VÍDEOS: https://www.youtube.com/channel/comunidadesaopauloapostolo

HINO À SANTA SUZANA


1.Lírio puro, teu nome, Suzana, Açucena, assim se traduz.
Frágil, forte, com força humana, no martírio seguiste a Jesus.

Este povo fiel te venera e invocando levanta a voz;
Te pedimos, visita esta terra, junto a Deus intercede por nós!

2. O poder que este mundo reveste inebria, fascina, seduz.
Tu, porém, bem maior escolheste: viver sempre, somente em Jesus.

3. Bens, riquezas e todo esplendor, fama, jóias, o mais fino ouro. Recusaste por não ter valor, pois Jesus foi teu grande tesouro.

4. Para os jovens és força e virtude, pois tão jovem venceste, afinal. Alcançar, mesmo na juventude, a vitória do bem sobre o mal.

5. Aos adultos ensinas que a vida não se mede por sua extensão.
É o fruto maduro a medida que dá à vida sabor, duração.

6. Aos idosos tu és confiança de sem véus poder contemplar
Tudo aquilo que foi esperança nesta terra, em seu caminhar!

HINO PARA UMA VIRGEM E MÁRTIR


Ó mais suave dos hinos, entoe o povo de Deus.
Pois eis que hoje uma virgem, subiu à glória dos céus.
No exílio ainda na terra, já se entregava ao louvor;
virgem Suzana juntou-se aos Santos, nos mesmos hinos de amor.
A frágil carne domando, rosa entre espinhos floriu;
calcando as pombas do mundo, do Cristo os passos seguiu.
As suas preces ouvindo, Jesus nos dê sua mão,
sempre a guiar nossos passos para a celeste mansão.
Ao Pai e ao Santo Espírito, nós te adoramos Jesus:
Caminho estreito e seguro que a vida eterna conduz.
Santa Virgem Suzana em um grande temor,
morreu para o seu Deus por um gesto de Amor”
Bis

Solenidade da Assunção de Maria

Domingo, 19 de agosto – mês das vocações.

“Agora realizou-se a salvação!”, enfatizou Padre José em sua homilia e acrescentou que esta verdade nos foi revelada por Deus e por meio da Igreja. Padre José agradece a Igreja por nos oferecer, através do Cristianismo, o Corpo e Sangue de Cristo cujas origens e destinos são divinas. Na II Guera Mundial, oportunistas daquela época, tentaram questionar este Corpo por conta do holocausto, mas a Igreja, por ser verdadeira, não se deixou abalar.

Naqueles dias, Maria dirigiu-se a uma cidade da Judeia ao encontro de sua prima Isabel que estava gestante. Maria, ao chegar, saudou Isabel, e quando esta ouviu a saudação, seu filho pulou em seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.

Maria antes de dar à luz, se deparou com o dragão que queria devorar Jesus logo que nascesse. Maria fugiu para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um lugar, e ela deu à luz um filho homem, que veio para governar todas as nações com cetro de ferro. Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição.

No próximo dia 25, Padre José estará, no Mini Congresso Missionário em São José dos Campos, representando nossa diocese; este congresso tem como objetivo avaliar o desempenho missionário das dioceses.

Homenagem aos Pais – 19º Semana do Tempo Comum

Domingo, 12 de Agosto.

Jesus respondeu: “Não murmureis entre vós. Pois está escrito nos profetas: ‘Todos serão discípulos de Deus’. Ora, todo aquele que escutou o Pai, e por ele foi instruído, vem a mim.”

Padre Manoel nos propôs em sua homilia que tenhamos como meta o Céu, e para isso devemos buscar a santidade e conduzir nossa família à Salvação. E finalizou dizendo que a Cruz de Cristo é a maior garantia de Fé nos dada por Deus.

As músicas da Missa em homenagem aos pais foram cantadas pelo Coral do Clube.

Nosso Pároco, pouco antes da comunhão, abençoou os pais individualmente, e após, houve uma linda homenagem do catequizando Matheus a todos os Pais:
Clique para assistir: https://www.youtube/G2AZef

No final, Pe. Manoel abençoou os pingentes das crianças da Catequese para presentearem seus pais.


AVISOS PAROQUIAIS:

Encontro de Casais com Cristo – ECC

Estão abertas as inscrições para o XVIII ECC da nossa Paróquia, que acontecerá nos dias 21, 22 e 23 de Setembro. É um momento maravilhoso do casal colocar Cristo no centro de seu casamento, uma experiência profunda de amor entre o casal e Deus. Podem participar todos os casais de primeira união, sendo ou não casados na igreja. Inscrições podem ser feitas no link abaixo: https://goo.gl/forms/WdfLEJLC9cHfZPat1

Missa das Crianças – 18º Semana do Tempo Comum – 2018

Domingo, 5 de agosto.

Segue o vídeo da primeira leitura contada pela fantoche Cidinha:

Na segunda leitura São Paulo fala aos Efésios que devemos renunciar a nossa existência passada, despojar-nos do homem velho que vive sob o efeito das paixões enganadoras.

O evangelho de São João, foi proclamado por Pe. Clemente, quem também presidiu a Missa. O evangelista narra Jesus dizendo a multidão: “Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do Homem vos dará!”

O Padre em sua homilia, trouxe uma latinha de Coca-Cola para ilustrar um fato que ocorreu em meados dos anos 80 onde a Pepsi vencia a Coca-Cola na concorrência. Esta se viu forçada a criar uma nova estratégia de marketing que alteraria seu sabor, juntamente com rótulo: New Coke.

Depois disso, cerca de 1500 pessoas ligavam por dia nas fábricas da Coca-Cola exigindo o sabor original, e por conta disto, em três messes, a Coca-Cola substituiu das prateleiras a mercadoria pela tradicional; logo as manchetes publicaram: “A América Escolhe Novamente Coca-Cola Tradicional”.

O povo Hebreu comeu o maná durante a travessia no deserto do Egito ao fugir da escravidão, como está na Escritura: ‘Pão do céu deu-lhes a comer”, e reclamaram deste pão porque, quando escravos, achavam que eram bem alimentados; mas não se deram conta que vivenciariam nesta travessia um período de peregrinação e de libertação, onde cabia a eles persistirem na fé.

As vezes fazemos a mesma coisa com Jesus, exigindo que Ele seja diferente. E queremos, por desagrado, experimentar coisas novas, deixando de lado nossa tradição ao trocar o certo pelo duvidoso, que muitas vezes nos  decepciona. Como numa empresa quando almejamos um cargo superior, mesmo que isto custe nossa saúde mental e espiritual.

Muitos se decepcionam por esperarem algo dos outros que, além de não corresponderem, mal se dão conta desta situação.

Na nossa caminhada Cristã, nem sempre somos servidos conforme gostaríamos, ou como éramos; mas se confiarmos em Jesus e persistirmos, a vitória nos será dada. Assim diz o Senhor: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede”.

Madre Tereza de Calcutá nos deu um grande exemplo de persistência na fé, e dizia: “para falar com Deus precisamos fechar os olhos e abrir o coração.”

Após a Comunhão o Padre sorteou a entrega da Capelinha de Nossa Senhora, e o sorteado foi José Pedro. A capela permanecerá em seu lar abençoando sua família durante o mês de agosto.

17º Semana do Tempo Comum – 2018

Domingo, 29 de Julho.

Na primeira leitura, já no antigo testamento, o profeta Eliseu ordenou ao servo, com apenas vinte pães de cevada e trigo novo, dar àquele povo de 100 homens para que comam, e este servo, ao obedecer a ordem de Deus, distribuiu mesmo duvidando. Com isso eles comeram e ainda sobrou.

Na segunda leitura São paulo diz aos Efésios que devemos com toda a humildade e mansidão, suportar-vos uns aos outros com paciência e no amor.

O evangelho de São João, foi proclamado por Pe. Manoel C. Viana Neto, quem também presidiu a Missa. O evangelista narra de mudo muito profundo o segundo sinal de Jesus Cristo, a Multiplicação dos Pães. Já o primeiro Sinal foi realizado em Caná da Galileia, onde Jesus transformou a água em vinho.

O mar da Galileia está a 200 metros abaixo do nível do mar, sendo Jericó a cidade mais profunda do mundo com 400 metros abaixo do mar, e a cidade mais antiga. Jesus segue para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades, onde os Judeus desta região, por estarem próximos de povos estrangeiros, eram considerados impuros pelos Judeus de Jerusalém. Por isso Jesus começa e termina seu ministério na Galileia (quando Jesus ressuscita, o anjo diz para os discípulos: “Vão para a Galileia porque lá vos esperam o Senhor!”), porque dali Jesus enviou seus discípulos em meio aquele povo estrangeiro, para mostrar que o Anúncio do Evangelho não é só para os Judeus, mas para todo o mundo.

Estava próxima à Páscoa, a festa dos judeus, e Jesus sobe ao monte e neste monte senta-se para ensinar à multidão de mais ou menos 5 mil homens e pergunta a Felipe: “Como vamos alimentar esta multidão?” Felipe, ainda pensando igual aos seres humanos comuns, responde de forma pessimista: “Senhor, nem com 200 moedas de pratas seria possível alimentar esta multidão!”. Mas Jesus tenta fazê-lo entender que para aquele que crer, nada é impossível e que Deus é o Deus das coisas impossíveis.

Logo André, irmão de Simão Pedro, apresenta a Jesus um menino que trazia consigo cinco pães de cevada e dois peixes, sendo este o único da multidão quem teve coragem de partilhar o que tinha. E mesmo assim André questionou se aquilo seria suficiente para sustentá-los.

Jesus entende a limitação dos discípulos ainda em processo de crescimento na fé, e disse: “Fazei sentar as pessoas”. Jesus tomou os pães, deu graças e os distribuiu aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes. Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!” E ainda sobraram 12 cestos.

Deus nos dá a graça e nos ordena a multiplicar nossos dons em favor do próximo, a dar para que nos seja dado no tempo certo, e a partilhar. Como diz a letra da canção de Martin Valverde: “Se forem fiéis no pouco, ele vos confiará mais”.

AVISOS PAROQUIAIS:

Semana da Família com Abertura Nacional:

14º Semana do Tempo Comum – 2018

Domingo, 8 de julho.

O verdadeiro amigo é sábio. Ele não procura seus amigos no fórum romano, como também na cúria romana, ele procura seus amigos em sua casa ou entre seus empregados; pois isto lhe aproxima mais de Deus, faz ser amigo de Deus e faz ser do agrado de Deus. Deus que vai na nossa frente, Ele que nos guia, nos dá a graça, nos dá sabedoria, e nos ajuda a seguir seus ensinamentos.

A primeira leitura fala de Ezequiel sendo enviado a uma geração “cabeça dura”,  mas que não se deixou influenciar pelas fraquezas e fracassos daquele povo.

Quando virmos alguém fracassando diante do mundo, aquele sairá vitorioso se acreditar e confiar em Deus.

O evangelho de São Marcos, foi proclamado por Pe. Manoel C. Viana Neto, quem também presidiu a Missa. Disse em sua homilia que há situações onde os pais se decepcionam com os filhos por não seguirem os ensinamentos de Jesus, e ressaltou: “Não devemos desanimar, pois com Cristo, seremos mais que vencedores!!” COM CRISTO EU SOU MAIS QUE VENCEDOR! – Disse São Paulo na segunda leitura, e continuou: “O espinho na carne foi deixado a fim de que eu não me exaltasse demais”.

Se olharmos no espelho veremos que temos muitos espinhos para nos vangloriar, mas se observarmos a fundo, veremos que tais espinhos nos aproximam de Deus, se nos vangloriarmos no Senhor. Disse São Paulo: “Se é para eu me gloriar, eu me glorio das minhas fraquezas – porque quando me sinto fraco, aí é que sou forte”. Seu exemplo fez muitos gregos e romanos se curvarem perante o Senhor. Do mesmo modo, também somos capazes de tais graças, através de nosso testemunho cristão.

Na nona carta Sêneca discorre sobre a Amizade e sua relação com a filosofia:
“Para que você possa ser amado, ame.” e nos alerta sobre o risco das amizades por interesse: Aquele que começa a ser seu amigo por interesse também cessará por interesse.

Fonte: Paróquia Imaculada Conceição – Morumbi

Missa das Crianças – 07/18

Domingo, 01 de julho.

A primeira leitura foi contada pela Catequista Raquel interagindo com os fantoches Paulinho e Cidinha. Raquel explicou às crianças da catequese que o rei Herodes mandou prender Pedro, que ficou muito triste e desapontado porque foi preso por amar Jesus, seguir seus ensinamentos e fazer o bem.

Eis que apareceu um anjo do Senhor dizendo a Pedro na prisão: “estou aqui porque Deus me enviou, Levanta-te!” e com isso as algemas de Pedro se desataram e os portões se abriram.

Cidinha disse que anjo é semelhante a quem leva algo delicioso a alguém que está doente, ao lembrar de seu o avô quando lhe trouxe bolinhos de chuva quando ela adoeceu. Como em nossas vidas, pessoas que nos apoiam em nossas dificuldades são  verdadeiros anjos.

Na homilia pe. Manoel, começou perguntando à Cidinha qual foi a pergunta que Jesus fez aos discípulos na região de Cesareia de Filipe. Cidinha respondeu: “quem é Jesus para nós?”

Houve muitas respostas das crianças da catequese, como: Filho de Deus e nosso Salvador, Aquele que perdoa, Aquele que nos ama, Aquele que gosta da gente, Aquele que nos ama como nós somos, Aquele que é nosso amigo…

Não devemos ser como o rei Herodes, que prendia as pessoas por fazerem o bem. Devemos ser bondosos e cuidar uns dos outros como anjos.

Perguntou pe. Manoel:
– Cidinha você já foi “anja” para alguém?
Cidinha Respondeu:
– Sim, para minhas amigas da escola e ajudando meus parentes e amigos.
E você Paulinho? perguntou pe. Manoel.
– Sim, eu já fui anjo da Cidinha rsrs. Respondeu Paulinho.

Muitos diziam que o filho de Deus, era Elias, João Batista, Jeremias, etc.. Mas Pedro respondeu a Jesus: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.

Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus e tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.

Pedro foi aquele quem edificou a Igreja de Jesus, e Paulo foi aquele quem mais anunciou o evangelho de Deus.

Pe. Manoel finalizou a Homilia com a seguinte oração:
“Senhor Jesus ajuda-me a ser bom fazendo somente o bem, tirar as pessoas da tristeza, consolar as pessoas doentes e abraçar aquelas que estão tristes. Que possamos ser como anjos de Deus. Obrigado Jesus, por ser meu amigo e por me amar. Amém.”

AVISOS:

hoje se nossas as atividades se encerram paroquiais no clube, devido as férias escolares, e retornaremos dia 29 de Julho – último domingo do mês.

Hoje também é dia de muita alegria na Comunidade São Paulo Apóstolo por festejarmos antecipadamente o aniversário natalício de pe. Manoel do dia 03 de julho, como também seu aniversário de sacerdócio do dia 29 de junho, coincidindo com a festa da unidade da Igreja Católica por São Pedro e São Paulo.

“A Comunidade agradece a presença de pe. Manoel no meio de nós por mais um ano de muitas bençãos e alegrias, pois tê-lo conosco é uma graça e um presente de Deus. Que o Senhor Deus lhe dê muita saúde para continuarmos sempre unidos em nossa missão de evangelização pelo clube, nas escolas, em nossas famílias, no trabalho, etc. Ofereçamos ao pe. Manoel algo que ele possa levar para a vida inteira, como nosso carinho, nossa amizade, nosso respeito, nossas orações, nosso trabalho e Amor.” (Célia Czinczel Mancini – Ministra da Eucaristia)

“Não te trago ouro, porque ele não te leva ao céu e nenhuma riqueza deste mundo,
não te trago flores porque elas secam e caem no chão”.
(Flávio Ribeiro – Compositor)

Gabriel (filho de Rodrigo e Taty – ministros da música e Eucaristia), representando nossa comunidade, lhe entregou um presente em formato de coração escrito com o nome de todos nós.

Pe Manoel, emocionado, agradeceu e ressaltou dizendo: “O que seria do padre se não tivesse o povo e o apoio de todos vocês?” – retribuiu o presente com o que existe de mais especial: A benção de Deus. Depois da missa houve comemoração com bolo de aniversário e refrigerantes.

 

Solenidade de São Pedro e São Paulo, e Inauguração do Salão Paroquial. 2018

Sábado, 30 de Junho.

Amados irmãos e irmãs,

“E vós, quem dizeis que eu sou?” Perguntou-lhes Jesus.
Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus Vivo!”

Hoje celebramos a festa da nossa Identidade como cristãos católicos romanos… Hoje celebramos os dois movimentos constitutivos de nossa Igreja: a Comunhão e a Missão! Hoje, a dignidade do nosso batismo toma significado a partir da vida desses dois grandes Santos – São Pedro e São Paulo – na medida que com Pedro somos chamados a trabalhar pela unidade, pela comunhão, pela vida fraterna, onde ninguém fique de fora; com Paulo, somos imbuídos do mandato de Jesus: “ide e anunciai” (cf. Mc 16,15), tendo a coragem de proclamar a Boa Notícia com nossa própria vida, com nosso próprio testemunho, aos irmãos e irmãs que ainda não conhecem Jesus Cristo…

No Evangelho Pedro reconhece Jesus como o “Messias”, como o “Filho do Deus Vivo”! Pedro faz sua profissão de fé oral, porque mais tarde vai fazer sua profissão de fé martirial, dando sua própria vida! Ao fazê-la, Jesus o considera afortunado, feliz, porque o Pai o havia revelado… O mesmo acontece com Paulo, que de perseguidor – Saulo – fariseu, judeu exemplar e zeloso, também vai reconhecer Jesus Cristo: “quem és Tu, Senhor? Eu sou Jesus, aquele que você está perseguindo…” e no fim de sua missão também dará testemunho do Mestre entregando sua própria vida: “Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé” (cf. 2Tm 4,7).

Em um sermão do ano de 395, o Doutor da Igreja, Santo Agostinho de Hipona, expressou que São Pedro e São Paulo, “na realidade, eram como um só. Embora tenham sido martirizados em dias diferentes, deram o mesmo testemunho. Pedro foi à frente; Paulo o seguiu. Celebramos o dia festivo consagrado para nós pelo sangue dos apóstolos. Amemos a fé, a vida, os trabalhos, os sofrimentos, os testemunhos e as pregações destes dois apóstolos”. Ambos reconheceram o Messias, ambos professaram a fé no Filho de Deus! E, ao fazerem, também foram reconhecidos por Jesus: Simão se tornou Pedro, a Pedra sobre a qual Jesus edificaria sua Igreja; Saulo se tornou Paulo, grande instrumento de Jesus para a missão, para a expansão de sua Boa Nova…

Assim, irmãos, também acontece com cada um de nós! Deus vem até nós, em nossa história, no momento exato e adequado… Faz conosco um encontro de amor onde nos chama a ser seus discípulos. Como um dia chamou Pedro, Paulo, Maria Madalena etc. Chamou a mim, aos meus irmãos no sacerdócio e no diaconado; às irmãs, na vida consagrada; a vocês, no sacramento do matrimônio. Chamou-nos a todos, sem distinção! Somos construtores da comunhão, do amor fraterno! Somos promotores da Caridade, da partilha, da ajuda fraterna! Somos anunciadores do Evangelho nos diversos ambientes da sociedade…

Estão vendo estas colunas aqui no meio deste Salão Paroquial? Então… Eu, você, todos nós somos como essas colunas. Há muito que se edificar… Primeiro, o Reino de Deus através da consolidação da Comunidade Paroquial. Depois, nossa Igreja Matriz com seu Centro de Pastoral e a Casa Paroquial… Muitos falam que é uma obra grande demais, que custará muito, que poderia ser algo mais simples e pequeno… Eu ousaria tomar emprestado uma frase de São José Maria Escrivá de Balaguer, fundador do Opus Dei, onde ele diz: “Você diz que a Missa é longa, mas eu acrescento: porque seu amor é curto.” E fazer uma paráfrase: Você diz que esta obra é grande e cara, mas eu acrescento: porque sua fé é pequena! Na história da Igreja vemos homens que pensaram grande porque tinham uma fé grande!

Vejam as grandes catedrais na Europa que ainda hoje estão de pé como que para protestar contra o secularismo, contra o ateísmo… Vejam o Vaticano, sede de nossa Igreja e grande lugar de peregrinação! Vejam tantos santuários, igrejas, monumentos projetados, esculpidos, pintados e cantados por tantos artistas de renome que levaram – e levam ainda hoje – os homens a Deus através da arte, através do belo!!! “A beleza salvará o mundo”, dizia Dostoiéwski…

Aqui está, irmãos e irmãs, nossa Missão! Aqui está nosso empenho e comprometimento: sermos colunas, edificarmos a Casa do Senhor! Nestes 22 anos tenho buscado levar a cabo essa missão, mas hoje gostaria muito de contar com você que tem fé, com você que verdadeiramente acredita que esta obra será como que um sinal vivo e eficaz da Palavra, da Comunhão e Unidade, da Caridade de Deus! Aos que não acreditam, aos que têm uma fé pequena, peço: rezem, peçam a Deus que lhes aumente a fé!

Quero agradecer e bendizer a Deus pelo dom da minha vida e do meu ministério sacerdotal. Quero agradecer pelos meus vigários paroquiais que tanto me tem ajudado. Quero agradecer pelos amigos que me incentivam e animam a seguir adiante. Quero agradecer aos meus queridos paroquianos que acreditam em mim e somam comigo! Deus lhes pague a todos! Que Maria, Rainha dos Apóstolos, juntamente com São Pedro e São Paulo nos ajude a terminar a obra que o Senhor mesmo iniciou! Que Ela, que tanto amou e serviu o seu Filho, nos ensine a amá-Lo, honrá-Lo e reverenciá-Lo.

(Pe. Manoel Correa Viana Neto – Pároco)

“Para oferecer bem uma Eucaristia são necessárias três eternidades: uma para prepará-la, outra para celebrá-la e uma terceira para agradecer”. (São João Eudes).

“Nosso querido padre e todos que ajudaram estão de parabéns. Muita gente unindo forças e trabalhando para que tudo desse certo e DEU! Feliz por mais essa conquista do nosso padre que tanto se esforça. Deus abençoe sempre para que aos poucos a construção vá avançando!”

(Pascoal Mário Costa Guglielmi – Ministro da Música)

Salão Paroquial – Rua David Ben Gurion, 777 – Jd. Monte Kemel, São Paulo – SP


Veja Mais


Procurando uma igreja, paróquia ou uma comunidade que seja perfeita, resolvi ligar para o apostolo paulo:

👱🏻 Alô! É o Apostolo Paulo?

🧔🏻 Sim é ele!

👱🏻 A paz do Senhor Jesus!

🧔🏻 Amém, irmão!

👱🏻 Desculpe o incômodo, Apóstolo, mas estou precisando da sua ajuda. É que ando decepcionado com muita coisa na igreja a qual pertenço e estou a procura de uma outra. Estou pensando em participar em Corinto. Ela é uma igreja ideal?

🧔🏻 Olha, a Igreja de Corinto tem grupinhos (1Cor 1,12), tem inveja, contendas (1Cor 3,3), brigas que vão parar nos tribunais de justiça comum (1Cor 6,11), e tem até alguns fornicadores (1Cor 5,1).

👱🏻 E a Igreja de Éfeso?
🧔🏻 É uma Igreja alicerçada na Palavra (At 20,27), mas, ultimamente, tem muita gente sem amor por lá (Ap 2,4).

👱🏻 Hum! Tá difícil, heim, apóstolo! E se eu for para a igreja de Filipos?

🧔🏻 Filipos até que é uma igreja boa, mas tem duas irmãs lá que se chamam Evódia e Síntique que se desentenderam e estão sem conversar uma com a outra (Fil 4,2).

👱🏻 Então, acho que vou mudar para Colossos e começar a participar lá.

🧔🏻 Olha, em Colossos tem uns hereges que estão tumultuando o ambiente.

👱🏻 Que coisa! E se eu for para a igreja dos Gálatas?
🧔🏻 Bem, lá tem alguns cristãos se mordendo e devorando uns aos outros (Gl 5,15).

👱🏻 Não sabia que era tão difícil achar uma igreja perfeita.

Entrei em contato com o Apóstolo João. Pensei, então na possibilidade de ir para Laodiceia, mas João me disse que seus membros estão muito longe da perfeição, pois são orgulhosos, materialistas e mornos espiritualmente (Ap 3,16).

Sabe, irmão Paulo, já pensei em ir para onde a Igreja começou… em Jerusalém, mas ouvi dizer que tem muita gente preconceituosa lá (Gl 2,12-13), além de murmuradores (At 6,1) e alguns se mantém nos ministérios buscando destaque na comunidade (At 5,1-11).

Em Roma a igreja é perseguida pelos pagãos…

👱🏻 E agora, como faço, Paulo?

🧔🏻 Você precisa entender que não existe igreja perfeita, por ser composta por seres humanos.

Há joio no meio do trigo e muitos fiéis genuínos que estão em processo de aperfeiçoamento, alguns mais maduros e outros ainda muito imaturos.

Em breve estaremos na Igreja perfeita, a Igreja dos primogênitos, assembleia dos santos de Deus, que estão inscritos nos céus (Hb 12, 23).

Meu conselho é que desista de procurar uma Igreja perfeita, e seja você a igreja perfeita e santa; e assim passe a procurar uma igreja com líderes sinceros e que estejam bem firmados na sã doutrina. Não deixe de congregar na unidade (Hb 10,25).

Coloque-se à disposição de Deus para tornar-se um membro saudável na edificação do Corpo de Cristo para a salvação de muitos e para a glória de Deus (Ef 4,1-16).

Quando for à igreja, não vá pensando que a Santa Missa, padre ou os irmãos irão agradar ou não, mas vá à comunidade oferecer um culto agradável a Jesus Cristo que é a edificação de sua Esposa, a Igreja!

Solenidade da Natividade de São João Batista

O Senhor chamou-me antes de eu nascer, desde o ventre de minha mãe ele tinha na mente o meu nome; fez de minha palavra uma espada afiada, protegeu-me à sombra de sua mão e fez de mim uma flecha aguçada escondida em sua aljava, e disse-me: “Tu és o meu Servo, Israel, em quem serei glorificado.

João declarou: ‘Eu não sou aquele que pensais que eu seja! Mas vede: depois de mim vem aquele, do qual nem mereço desamarrar as sandálias’.

O evangelho de São Lucas, foi proclamado por Pe. Manoel C. Viana Neto, quem também presidiu a Missa. O evangelista relata o nascimento de São João Batista, onde havia completado-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela daria à luz um filho.

No oitavo dia foram circuncidar o menino –  seu pai Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome!” No mesmo instante Zacarias começou louvar e glorificar a Deus. O menino crescia e se fortalecia em espírito. Sua missão era anunciar a vinda do Messias e batizar em nome de Deus.

Durante a procissão da Comunhão, Pe. Manoel abençoou as crianças que também participaram da tradicional Hosaninha antes da Missa; houve também participação das crianças que já fizeram a primeira comunhão recentemente e as dos anos anteriores, como também das crianças de outras comunidades pertencentes à Matriz Santa Suzana. Foi uma manhã de louvor a Deus, com oração, cantos, danças, e visita ao clube.

Depois da Comunhão houve comemoração dos 20 anos de matrimônio de Matusalém e Tathiana, com benção especial e renovação dos votos. Sendo muito gratificante para nós testemunharmos este exemplo de união, amor e fé.