Solenidade da Santíssima Trindade

Domingo, 27 de maio.

A Igreja celebrou a Solenidade da Santíssima Trindade, o mistério central da fé e da vida cristã. Deus se revelou como Pai, Filho e Espírito Santo. Foi Nosso Senhor Jesus Cristo quem nos revelou esse mistério. Ele falou do Pai, do Espírito Santo e de Si mesmo como Deus. Logo, não é uma verdade inventada pela Igreja, mas revelada por Jesus, porque o Mistério de Deus não nos cabe compreender, mas é a verdade revelada.

Todos aqueles que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. E, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e coerdeiros de Cristo; se realmente sofremos com ele, é para sermos também glorificados com ele.

O Evangelho do apóstolo São Mateus foi proclamado pelo Pe. Antônio Cesar, quem também presidiu a Missa. O apóstolo narra a aproximação de Jesus aos discípulos dizendo:  “Ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo”.

Na homilia, Pe. Antônio Cesar enfatizou a importância da Santíssima Trindade, o mistério central da fé e da vida cristã.  Santo Agostinho, doutor da Igreja,  tentava entender como 1+1+1=1, sendo este o mistério da Santíssima Trindade. Num certo dia Santo Agostinho observava um menino tentando cavar um buraco na praia e enchê-lo com a água do mar;  e o questionou. O menino respondeu que seria muito mais fácil encher aquele buraco com toda a água do mar do que entender o mistério da Santíssima Trindade.

Pe. Antônio Cesar também ressaltou a importância do sacrifício entre os casais, no que diz respeito ao perdão, humildade e aceitação: “A Quem devemos mudar? A Nós mesmos!”; ilustrando bem o exemplo da caixinha que guardava um espelho; dizia-se que, ao abri-la,  dentro dela encontrava-se a solução para todos os problemas conjugais.

No final da Missa tivemos a Coroação de Nossa Senhora com as crianças da catequese.